Diabéticos já são 366 milhões em todo o mundo

Um total de 366 milhões de pessoas sofre de diabetes em todo o mundo, e a tendência é para que este número continue a aumentar. Estima-se que a cada 10 segundos morra um doente devido a problemas relacionados com a doença, caracterizada pela não produção de insulina pelo pâncreas e decorrente descontrolo dos níveis de açúcar no sangue. Outro dado alarmante é de que o número de vítimas relacionado com a doença ascenda a 4,6 milhões por ano.

As informações foram divulgadas pela Federação Internacional do Diabetes (IDF) durante o 47.º Congresso da Associação Europeia para o Estudo da Diabetes, realizado na semana passada em Lisboa, Portugal. Os números superaram a expectativa de 300 milhões estimada na edição de 2009 do Atlas de Diabetes da IDF.

Com os dados, o diabetes já é a uma das doenças com maior índice de crescimento nos últimos anos. A vasta maioria dos casos diagnosticados classifica-se como diabetes tipo 2, causada por uma dieta pouca diversificada, obesidade e falta de exercício físico. Este tipo do diabetes provoca inúmeras complicações de saúde relacionadas com a falta de controlo de açúcar no sangue, sendo, em muitos casos, potencialmente fatal.

Atualmente o diabetes é considerado também a principal causa de insuficiência renal, cegueira e amputação de membros inferiores. A monitorização de níveis que lhe estão associados, como a glicose no sangue ou os corpos cetónicos na urina, constituem a principal ferramenta na gestão diária da vida das pessoas com diabetes, permitindo assim traçar diretrizes adequadas para o tratamento.

A cetoacidose diabética é um estado de absoluta ou relativa deficiência de insulina no sangue, existente em quantidades incapazes de permitir a abertura das células à glicose, privando-as do seu normal substrato. Em substituição desta fonte de energia, o organismo socorre-se de corpos cetónicos que se acumulam no sangue, a par da mesma, que não é absorvida pelas células, resultando em hiperglicemia e em consequente acidose metabólica.

A maioria destes episódios é evitável através do controlo da cetonemia, até há pouco tempo feito com recurso a tiras reativas de urina, fornecendo apenas um valor estimado. Hoje, é possível efetuar num único equipamento a verificação dos valores da glicemia e medir também os valores de cetonemia, representando este um dos últimos avanços na área da diabetes.
 
ONU – O crescimento do diabetes em todo mundo virou pauta prioritária para da  próxima reunião da Organização das Nações Unidas (ONU), prevista para acontecer nos dias nesta segunda e terça-feira, dias 19 e 20 de setembro. Após a reunião sobre a AIDS, realizada em 2001, esta será a segunda vez que a ONU reúne-se para tratar especificamente de uma doença, o que atesta a preocupação global sobre o aumento do número de diabéticos em todo o mundo. Os países vão discutir e definir soluções que ajudem a travar a ascensão da doença.

Leia também:

Diabetes é maior causa de amputações no Brasil
Nova abordagem terapêutica promete evitar amputações por neuropatia diabética

Passo Firme – 18.09.2011 (Com informações de RCM Pharma e SBD)
Vote no Blog Passo Firme para o Top Blog 2011

Anúncios

Um comentário em “Diabéticos já são 366 milhões em todo o mundo

Obrigado por sua colaboração ao #PassoFirme!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s