Meus primeiros dias de reabilitação no CMW

Fisioterapia, confecção de encaixe e deambulação com a prótese marcam primeira semana do blogueiro com a perna mecânica

Lázaro Britto

Na última quarta-feira (23) completei uma semana desde que cheguei ao Centro Marian Weiss (CMW) para colocação da perna mecânica. Conforme prometi, relatarei as principais etapas do processo de reabilitação, com a finalidade de dividir com os leitores do Blog Passo Firme minhas experiências. Em resumo, os primeiros dias foram marcados pela realização de sessões de fisioterapia, prova do encaixe provisório, treinos de deambulação com a prótese – alguns dos quais foram gravados e postados no Youtube -, bem como a conquista de novos amigos, e imprevistos como uma unha encravada e a não chegada de alguns componentes da prótese, normais etapas de um processo de reabilitação.

Antes de entrar em detalhes, porém, quero agradecer de coração às emocionantes manifestações de força, coragem e determinação que recebi nos últimos dias de amigos, familiares, colegas de trabalho, amigos de internet e demais pessoas que, mesmo sem me conhecer, escreveram desejando sorte e sucesso nesta nova trajetória. É muito bom saber que há tanta gente torçendo por mim. Tenham todos a certeza de que fiquei revigorado com o carinho e vou retribuir à altura com empenho e abnegação reforçados!

ENCAIXE – O promeiro dia (16/11) foi reservado para a tiragem de medidas e do molde transfemural, com gesso, pelo técnico ortoprotesista do CMW, Rodrigo Moura, juntamente com o auxiliar técnico Henrique de Almeida, para confecção do ”coração da prótese” – o encaixe – do tipo “MAS” (foto), de contenção isquiática. De acordo com o ortoprotesista Rodrigo Moura, o modelo possui uma configuração mais anatômica, permitindo maior controle da massa muscular contida no encaixe e, por consequência, uma mobilidade maior de movimentos e conforto ao sentar. A sigla MAS significa Marlo Anatomic Socket, em homenagem ao criador do design do encaixe, o engenheiro e protesista mexicano Marlo Ortiz

Como usava há seis anos atrás um modelo quadrilátero – sobre o qual eu sentia grande desconforto, principalmente ao sentar -, percebi o benefício do novo encaixe logo no dia da prova (17/11). Ele é mais livre atrás permitindo sentar normalmente, sem dar aquela sensação de se estar sentado com uma bacia acoplada ao coto. Esteticamente é muito mais bonito também, principalmente para mulheres, que podem usar calça justa sem se preocupar se a prótese vai ficar marcando a roupa.

FISIOTERAPIA – A tiragem do molde logo no primeiro dia foi possível porque, além de ser amputado há 11 anos, sempre procurei, na medida do posível, adotar uma conduta adequada em relação ao coto, como enfaixamento contínuo e algums exercícios em academia para fortalecer a musculatura. Além disso, quando estive no CMW, no início de setembro, recebi da fisioterapeuta Mônica Yamaoka orientações adicionais sobre postura, alongamento, equilíbrio, fortalecimento muscular e enfaixamento correto do coto, de modo que, quando retornei para a protetização estava mais preparado.

De acordo com a fisioterapeuta, devido ao tempo que fiquei sem prótese, usando apenas muletas, desenvolvi abdução e contratura do coto (flexão da musculatura para frente e para fora quando em repouso), bem como hiperlordose na região lombar da coluna, uma alteração atribuída a retração de alguns músculos que naturalmente deixam de ser trabalhados em função da ausência da perna. Por isso, os exercícios realizados priorizaram correção paulatina da contratura, fortalecimento do abdômen e da musculatura vertebral da região lombar, utilizando princípios do pilates e da reeducação global postural (RPG).

Fica, então, a dica para quem sofre do mesmo problema: praticar RPG, pilates ou as duas coisas. Vai ajudar bastante no desemvolvimento de uma marcha mais natural com a prótese, independente de seus componentes. Posteriormente pretendo escrever uma matéria somente com dicas de exercícios simples, mas importantes, que podem ser praticados em casa por amputados que se prepararm para a reabilitação, bem como aqueles que já usam prótese, mas que desejam melhorar a marcha.

A SEMANA – De segunda a quinta desta semana (de 21 a 24) pratiquei diversos treinos já com o uso da prótese, sendo os principais de deambulação dentro e fora da barra paralela, além de exercícios de equlíbrio, coordenação motora, dissociação de quadril, entre outros, que podem ser conferidos nos 14 vídeos abaixo (veja a lista de reprodução), que valem mais que palavras. Na última quarta-feira (23), exagerei um pouco na bicicleta ergométrica e terminei machucando a virilha e uma unha encravada no dedão do pé, que já estava em processo inflamatório, e só piorou com minha estripulia.

Graças a Deus, nesta quinta-feira (24), quando cheguei ao CMW, era dia de atendimento da podóloga Cleide Martinez, que possui especialização em pé diabético e desde 2003 a cada 15 dias presta serviços à clínica. Ela conseguiu retirar o que provocava a inflamação – um pedaço de unha podre – e fez um curativo, além de puxar minha orelha por ter futucado o pé escondido a inflamação por tanto tempo. Resultado: nesta sexta (25) não pude treinar com a prótesse nem trazê-la comigo. Aproveitei o “molho” no hotel para escrever este post, editar alguns vídeos e me preparar para uma festinha que vai acontecer no CMW logo mais à noite.

Matérias relacionadas:

Após seis anos, vou tentar reabilitação mais uma vez

Os primeiros passos de um novo homem…

A prótese do blogueiro

Passo Firme – 25.11.2011

Vote no Blog Passo Firme na segunda fase do TopBlog 2011! Ele está entre os 100 mais votados!

Anúncios

14 comentários em “Meus primeiros dias de reabilitação no CMW

  1. Ola! sou do orkut corpo e alma fico muito feliz por voce e por todos que vivem por este momento.desejo de corpo e alma felicidaDES BEIJOS COM CARINHO!

    Curtir

  2. Sucesso meu querido! Estou mandando pra você boas vibrações para que tudo dê certo!
    Mas não demora muito que estou com saudade de você aqui na Ascom.

    Abs,

    Marília Aragão – 71 8328-4283.
    Estudante de jornalisno – Unibahia
    twitter.com/amarilia

    Curtir

  3. Lázaro, sempre fico muito emocionada com suas histórias.
    Não sabia que vc estava nesse empreendimento. Foi uma boa surpresa. Que bacana.

    Só faltou informar onde fica o CMW…

    Também o seu trabalho de divulgação está muito bom. Os vídeos, o texto. Parabens. É um passo firme e vou pra frente.

    Curtir

    1. Sol,

      Obrigado por se emocionar com minhas histórias e torcer pelo meu sucesso. O processo é arduo, mas necessário para um bom resultado. Estou confiante de que tudo terminará bem.

      Olha, respeito muito suas opiniões sobre tudo que faço sozinho no comando deste blog, que tem tudo para seguir firme. Obrigado pelos elogios e, percebendo qualquer vacilo meu, me dá os toques, ok!

      O endereço do CMW foi citado na primeira matéria desta série.

      Continue acompanhando.

      Bjus

      Curtir

  4. Que legal, Lázaro!!! Fico feliz por você!!! E é claro que eu tenho certeza que essa nova etapa vai ser fichinha pra você. Tudo de bom nessa nova jornada!!!

    Um abraço,

    Silvio.

    Curtir

  5. Olá Lázaro, td bem? Eu sempre leio suas postagens no grupo no face e aqui tb… gostaria de saber sobre sua adaptação a esse tipo de encaixe o MAS, vc achou confortável? Eu uso o de apoio isquiático, mas como meu coto reduziu nos próximos meses farei outro e o protesista me falou sobre esse, que seria mais confortável pra mim. O que vc acha? obrigada abraços

    Curtir

Obrigado por sua colaboração ao #PassoFirme!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s