1ª etapa do edital de tecnologia assistiva qualifica apenas 31% das empresas candidatas

O resultado da primeira etapa da chamada pública de Tecnologia Assistiva, lançada pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) no final do ano passado, mostra que ainda há deficiências na qualificação das empresas candidatas ao financiamento. De um total de 182 empresas que apresentaram propostas ao edital,126 não foram consideradas aptas a desenvolver o projeto, um percentual de 69,2%. Das não habilitadas, 83 delas foram eliminadas por mais de um motivo.

A principal deficiência observada foi a falta de experiência em Tecnologia Assistiva, responsável pela eliminação de 57,4% das empresas não habilitadas no processo. Outros problemas de adequação ao edital também foram detectados, como produto incompatível com a linha temática e o proposto não consistir em um produto assistivo da chamada, que representaram 22,2% e 29,4%, respectivamente, das causas das eliminações.

Para a chefe do Departamento de Tecnologias Sociais da Finep, Patricia Retz, as empresas devem examinar minuciosamente o que está escrito na chamada. “Grande parte das concorrentes, infelizmente, não lê com atenção os editais. Os maiores percentuais de recusas, se analisarmos bem, estão ligados à falta de cuidado no preenchimento do que pede a chamada”, afirma Retz.

Em 2007, o resultado do Programa de Subvenção Econômica à Inovação – o primeiro que concedeu recursos não reembolsáveis para empresas – também apresentou um índice alto de não habilitados. De 2.567 propostas recebidas com a abertura do edital, apenas 569 projetos passaram da fase de pré-qualificação. O final do processo seletivo terminou com 174 projetos aprovados.

Segundo Alexandre Armentano, do Departamento de Subvenção Nacional da FINEP, apesar de muitas propostas ainda apresentarem deficiências, as empresas estão mais preparadas. “Os editais foram aprimorados, no sentido de mostrar de forma clara as exigências necessárias, e o aprendizado diante das recusas contribuíram para tornar as propostas das empresas mais qualificadas”, afirma.

O edital de Tecnologia Assistiva tem quatro linhas temáticas, cada uma voltada para um tipo específico de deficiência: visual, auditiva, física e múltipla (que abrange dois ou mais tipos). Softwares de reconhecimento de voz, impressoras Braille, tecnologia aplicada a aparelhos auditivos e próteses são alguns exemplos de produtos que podem ser viabilizados por meio deste edital. Os recursos financeiros são oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

O resultado final está previsto para julho de 2012.

Fonte: Finep

Passo Firme – 13.04.2012
Curta e compartilhe a página do Blog Passo Firme no Facebook!

Anúncios

Obrigado por sua colaboração ao #PassoFirme!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s