Criados novos programas de apoio à atenção oncológica e à saúde da pessoa com deficiência

O governo federal publicou no dia 3 de abril a Medida Provisória (MP) n° 563, que institui o Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon) e o de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas/PCD). Entre os objetivos propostos está o aumento de doações para melhorar tratamentos contra o câncer e ampliar a oferta de próteses através do Sistema Único de Saúde (SUS).

O primeiro programa tem a finalidade de captar e canalizar recursos para a prevenção e o combate ao câncer, que englobam, segundo o texto da MP, “a promoção da informação, a pesquisa, o diagnóstico, o tratamento, os cuidados paliativos e a reabilitação referentes às neoplasias malignas e afecções correlatas”.

O governo estabeleceu que o Pronon será implementado mediante incentivo fiscal a ações e serviços de atenção oncológica, desenvolvidos por instituições de prevenção e combate ao câncer como serviços médico-assistenciais; a formação, o treinamento e o aperfeiçoamento de recursos humanos em todos os níveis e a realização de pesquisas clínicas, epidemiológicas e experimentais.

A iniciativa pode ser uma oportunidade para os hospitais filantrópicos, já que poderão participar do programa as pessoas jurídicas de direito privado, associativas ou fundacionais, sem fins lucrativos, que sejam certificadas como entidades beneficentes de assistência social, na forma da Lei 12.101/09; qualificadas como Organizações Sociais, na forma da Lei 9.637/98; ou qualificadas como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público, na forma da Lei 9.790/99.

Já o Pronas/PCD tem a finalidade de captar e canalizar recursos destinados a estimular e desenvolver a prevenção e a reabilitação da pessoa com deficiência, incluindo-se promoção, prevenção, diagnóstico precoce, tratamento, reabilitação e indicação e adaptação de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção.

Esse segundo programa também será implementado mediante incentivo fiscal a ações e serviços de reabilitação da pessoa com deficiência desenvolvidos por pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos que se destinam ao tratamento de deficiências físicas, motoras, auditivas, visuais e intelectuais. Nesse caso, as organizações deverão ser certificadas como entidades beneficentes de assistência social que atendam ao disposto na Lei 12.101/09; atender aos requisitos de que trata a Lei nº 9.637/98; e constituir-se como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público que atenda aos requisitos de que trata a Lei nº 9.790/99.

De acordo com o texto da MP, as ações e serviços de reabilitação apoiadas com as doações e os patrocínios captados por meio do Pronas/PCD compreendem: prestação de serviços médico-assistenciais; formação, treinamento e aperfeiçoamento de recursos humanos em todos os níveis; e realização de pesquisas clínicas, epidemiológicas e experimentais.

Segundo o Ministério da Saúde, a ideia é captar recursos para ampliar a oferta de diagnóstico e tratamento de pessoas com câncer e aumentar o acesso à reabilitação e adaptação de pessoas com deficiência por meio do uso de órteses, próteses e outros meios de locomoção.

Com informações de: Femipa e Agência Câmara de Notícias

Passo Firme – 17.04.2012
Curta e compartilhe a página do Blog Passo Firme no Facebook!

Anúncios

Obrigado por sua colaboração ao #PassoFirme!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s