Como amputados podem lidar com a dor e a sensação fantasma

Dr. Marco Antonio Guedes de Souza Pinto*

A dor fantasma é um evento comum na fase pós-operatória imediata e pode persistir por algum tempo. Seu tratamento deve começar com analgésicos comuns e ser mais agressivo se persistir após administração do medicamento inicialmente escolhido.

Não concordo com a ideia do tratamento preventivo da dor fantasma com drogas pesadas. Ela tende a aliviar e se tornar cada vez mais eventual à medida que o tempo passa e são instituídas atitudes como enfaixamento do membro residual para redução do edema e maturação da forma do mesmo, e ficam muito raros os episódios de dor mais importante quando o paciente utiliza prótese regularmente. A meu ver, um fator agravante para o surgimento e manutenção da dor fantasma é a atitude da equipe terapêutica quando tende a valorizá-la exageradamente para o paciente, influindo no seu psiquismo frente ao evento.

A sensação do membro fantasma é um fenômeno extremamente frequente que não deve ser encarado como patologia, mas como um evento. Não existe razão evidente para que isso seja encarado como um problema. O paciente deve ser tranquilizado em relação a esta sensação como algo normal e previsto. A conduta correta do profissional de fisioterapia experiente é utilizar essa sensação para mobilizar a musculatura remanescente do coto de amputação através do que chamamos exercícios do membro fantasma. Isso permite o trabalho muscular atento e aproxima o paciente do coto de amputação (membro residual) de maneira positiva, passando a cuidá-lo e considerá-lo algo eficiente e importante na sua reabilitação. A musculatura trabalhada vai melhorar o seu trofismo incrementando a vasculatura, melhorando a amplitude de movimento e permitindo uma maturação com melhor propriocepção do coto de amputação.

Se for feita uma boa mioplastia (reconstituição do tecido muscular por meio de operação plástica) ou miodese (reinserção dos músculos e tendões seccionados à extremidade óssea amputada, proporcionando poder de contração), a resposta muscular vai ser muito mais efetiva e a capacidade do paciente de contrair a musculatura do coto e mudar a sua forma vai permitir o que chamamos de suspensão ativa do coto, ou seja, o paciente “segura” a prótese por dentro com o coto, reduzindo a possibilidade de pistonagem e seus efeitos prejudiciais, favorecendo maior propriocepção e força muscular, além de uma marcha melhor, pela intimidade maior da relação coto/prótese.

É, portanto, um erro encarar a sensação fantasma como uma patologia a ser tratada.

A permanência ou não da sensação fantasma vai depender, é claro, de como o paciente se relaciona a ela (e isso vai ser induzido pela equipe terapêutica) e a outros eventuais fatores que desconheço. Entretanto, não vejo razão para isso ser valorizado, só penso que trabalhar a sensação em vez de aboli-la com tratamento medicamentoso ou indução de qualquer tipo é muito mais lógico e correto, aproximando o paciente do seu membro residual em vez de afastá-lo cada vez mais como se tratasse de parte do corpo a ser evitada, como “o diabo foge da cruz”.

Fonte: CMW

* Ortopedista e traumatologista formado pela USP, Marco Guedes (foto) é fundador do Centro Marian Weiss (CMW), clínica especializada no tratamento de pessoas portadoras de problemas nos pés, pé diabético e amputados dos membros superiores e inferiores.

Leia também:

Espelhos ajudam a combater dor fantasma em amputados
Jogo em 3D pode ajudar a controlar síndrome do membro fanstama
Inventada prótese que reduz a dor fantasma em amputados

Passo Firme – 18.04.2012
Curta e compartilhe a página do Blog Passo Firme no Facebook!

Anúncios

8 comentários em “Como amputados podem lidar com a dor e a sensação fantasma

  1. Olá, meu pai amputou a perna 10 cm abaixo do joelho, já faz mais de 30 anos, ontem ele sentiu dos fortes no coto, o médico diagnosticou como dor fantasma e deu anti inflamatório… É possível, dor fantasma depois de tanto tempo do amputamento?? Ou seria que é uma dor neuropática por uma possível hérnia de disco??
    Muito obrigada…

    Curtir

Obrigado por sua colaboração ao #PassoFirme!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s