Atleta biamputado completa ultramaratona de 217 km em 62,5 horas

 

Os números jamais vão refletir o tamanho do esforço e da conquista do norte-americano Andre Kajlich (foto), 33 anos, que neste domingo (20) tornou o primeiro atleta biamputado a completar a terrível ultramaratona Brazil 135, disputada na serra da Mantiqueira, passando por cidades de São Paulo e Minas Gerais. Ele completou os 217 km da prova em 62 horas e meia, sendo aplaudido por um pequeno grupo de entusiastas que o esperava no centro da cidade mineira de Paraisópolis, ponto final de uma jornada que começou há dez anos, quando Kajlich, então um jovem estudante de química em uma universidade de Praga, sofreu o acidente que o deixou quase à morte. Veja o vídeo da chegada abaixo:

Depois de uma noite de baladas, acabou não se sabe como caído nos trilhos do metrô e foi atropelado pelo trem. Acordou três semanas depois, sem nem um tiquinho da perna esquerda e com apenas parte da direita, que foi amputada um pouco acima do joelho. Estava com as costelas quebradas, os pulmões perfurados e o fígado atingido. Sobreviveu. Aos poucos foi se recuperando. Um ano depois, começou a caminhar com próteses. Em 2008, ampliou seus horizontes participando de um triatlo. Para encurtar a história, que já contei aqui neste blog: com sua cadeira de rodas, foi campeão do Ironman de Kona no ano passado e duas vezes medalhista de prata no Mundial de paratriatlo.

Andre KajlichNa última sexta-feira (18), Andre Kajlich iniciou o que talvez tenha sido sua mais difícil empreitada depois do acidente, uma ultramaratona que inclui subidas até uma altitude de 1.600 m, no pico do Gavião, além de passagens por trilhas em que é preciso andar em fila indiana. Em vários pontos, ele desceu de sua cadeira especialmente construída para esse desafio, amarrou-se a ela e, arrastando-se pelo chão, puxou a cadeira até chegar a um ponto onde pudesse rodar com ela.

Outros contratempos incluem peças quebradas e pneus furados, que acabaram fazendo com que a jornada durasse ainda mais tempo e se enchesse de tensão. Foi várias vezes atendido pela ambulância, sendo atendido para tratar machucado nas mãos – é com ela que Andre movimenta seu equipamento.

Um dos envolvidos na ultramaratona, Jarom Lee Thurston, registrou assim a chegada de Andre: “Ele conseguiu! Aqui se fez história e eu fui testemunha. Andre Kajlich acaba de terminar uma das mais difíceis ultramaratonas de montanha do mundo, um esporte dominado por atletas que usam as duas pernas, e ele não tem nenhuma. Foram 135 milhas (217 quilômetros) em 62,5 horas. É um feito que acredito ser a principal notícia da década em esportes de resistência”.

Fonte: Blog do Rodolfo Lucena / Folha de S.Paulo

Passo Firme – 22.01.2013

Curta e compartilhe a página do Passo Firme no Facebook!

Anúncios

Obrigado por sua colaboração ao #PassoFirme!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s