“Beleza e deficiência não são opostos”, afirma ‘fotógrafa da inclusão’

Kica de Castro
Kica de Castro

Quem visitar a 11ª edição da Reatech (Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade) nesta quinta-feira (18) no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, não deve deixar de conferir a palestra “O Mito da Beleza & a Deficiência, Tem Alguma Relação?”. A temática, que integra a programação do “IV Seminário: A Sexualidade na Vida da Pessoa com Deficiência”, vai ser abordada na sala 9 da Reatech pela fotógrafa Kika de Castro (foto), proprietária de uma agência de modelos com algum tipo de deficiência.

Ao que parece, os corpos esqueléticos do mundo da moda estão, pouco a pouco, dando espaço a curvas, imperfeições e biótipos cada vez mais diversificados das pessoas com deficiência. Para Kica de Castro, beleza e deficiência não são palavras opostas. “Basta saber explorar o que cada um tem de melhor, seja um sorriso, um olhar, um gesto”, explica a fotógrafa. Para entender melhor esse universo que já pode ser classificado como mercado de trabalho, o Blog Passo Firme conversou com a fotógrafa sobre o assunto.

Publicitária por formação, Kica iniciou-se na fotografia há 13 anos, atuando em casamentos e eventos corporativos e sociais. Em 2002, passou chefiar um setor de fotografia em um centro de reabilitação para pessoas com deficiência física. O que era apenas registro para prontuários médicos se transformou em projeto de resgate da autoestima dos pacientes com a Fototerapia, projeto em que permaneceu até 2007, após iniciar a pós-graduação em fotografia.

No mesmo ano, não perdeu tempo e abriu a agência de modelos para pessoas com deficiência que, graças a Deus, está firme e forte até hoje. Entre os seus trabalhos, destacam-se as exposições fotográficas “ Aparelhos Ortopédicos na Mira da Moda”, “ Toda Nudez vai ser revela” e “Diversidade em Foco”, além do trabalho “Vidas em Cenas”, com curadoria de Antônia Yamashita, da empresa Mãe Especial, e colaboração do fotógrafo Arthur Calasans. Confira!

Maraísa Proença em foto da exposição “Toda Nudez Vai ser Revelada”
Maraísa Proença em foto da exposição “Toda Nudez Vai ser Revelada”

Blog Passo Firme – como surgiu a ideia de fotografar pessoas com deficiência?

Kica – A primeira oportunidade foi em setembro 2002, uma vaga de trabalho para ser chefe de um setor de fotografia em um centro de reabilitação para pessoas com deficiência física. Com o contato direto com esses pacientes, vi que muitos deles tinham baixa autoestima. No ano seguinte, comecei um trabalho de resgate da autoestima, o que chamei de Fototerapia. Ao ver as fotos, as pessoas gostaram do resultado e começam a questionar sobre oportunidades de usar suas imagens no mercado de trabalho. Comecei a pesquisar e descobrir diversos trabalhos na Europa – concurso A Mais Bela Cadeirante, na Alemanha, França e Inglaterra e reality show estilo Big Brother, só com pessoas com algum tipo de deficiência. Passei então a incentivar os pacientes a procurar agências de modelos e de publicidade, mas todas as respostas eram negativas. Vendo os resultados da pesquisa, a vontade de pelo menos ter uma oportunidade e eu acreditando no potencial dessas pessoas, em 2007, resolvi abrir agencia de modelos e batalhar pelos resultados que foram encontrados lá fora.

Blog Passo Firme – Qual a finalidade deste trabalho?

Kica – Fazer o agenciamento de profissionais com alguma deficiência e mostrar que beleza e deficiência não são palavras opostas. Beleza não é uma padronização que foi imposta pela década de 60, que para ser bonito tem que ser magro, alto, de olhos claros… Todo mundo tem um lado belo, basta saber explorar o que cada um tem de melhor, seja um sorriso, um olhar, um gesto. Também, mostrar que para ter inclusão é preciso se falar como um todo e a beleza é um assunto que tem que fazer parte dos debates. Para algumas pessoas com deficiência, uma questão de autoestima, para outras, uma oportunidade no mercado de trabalho.

Blog Passo Firme – Existe mercado para esse tipo de arte no Brasil ou ainda há muito preconceito?

Kica – Infelizmente ainda existe muito preconceito, contra o qual temos que lutar todos os dias aqui na agência. O ponto principal do meu trabalho é não utilizar nenhum tipo de programa para manipulação de imagem. A beleza que ali esta retratada é o natural. Na fotografia, utilizar as técnicas, iluminação, ângulos. O modelo ver a melhor maquiagem, a roupa que vai ser utilizada. Sem contar que a pessoa precisa estar bem interiormente, quando a pessoa se aceita como é, a felicidade é a melhor maquiagem. Juntando tudo isso, com uma dose de criatividade a imagem é a sociedade vem aceitando com arte e reconhecendo a pessoa retratada como uma referencia de beleza.

Blog Passo Firme – O foco dos ensaios é sempre a “sensualidade” da pessoa com deficiência?

Kica – Quem determina o foco é o cliente, a depender da finalidade das fotos. Se o cliente for uma pessoa com deficiência querendo fazer um book, para finalidades particulares, ela define qual o tema dos registros fotográficos. Essas imagens não são divulgadas pela agencia. Os meus clientes que trabalham com moda, gostam de um estilo mais fashion, conceitual, de forma mais séria. O mercado publicitário tem uma variação que comparo com uma peça de teatro, têm produtos que pedem sensualidade, outras um ar angelical, têm outros que pedem um clima dramático… As fotos divulgadas pela agencia, tem como objetivo mostrar a beleza com uma pequena dose de sensualidade, o que chama atenção para o trabalho, deixando de lado a vulgaridade.

Blog Passo Firme – Algum tipo específico de deficiência (paralisados, amputados, cadeirantes, etc.) costuma fotografar melhor, ou isso é irrelevante?

Kica – As pessoas com deficiência entram em contato para fazer books pessoais e outras para fazer o teste do casting. Nesses casos, não existem uma única deficiência que entra em contato, tenho contato com todas as deficiências: físicas, visuais, auditivas e intelectuais. Já o cliente é seletivo, ele escolhe o perfil do modelo: além das características físicas convencionais: loira, morena, negra, magra, plus size (gordinhas)… Ele também determina o tipo de deficiência e que aparelho ortopédico  que tem o perfil da campanha.

Blog Passo Firme –  Quem lhe inspirou para este tipo de trabalho?

Kica – A vontade das pessoas com deficiência em querem ser retratadas, mostrar que elas são pessoas bonitas e que tem capacidade de seguir uma carreira como modelo. Um caminho de  deixar de ser invisíveis para muitas pessoas que olham como “coitadinhos” e até mesmo com preconceito. Como aqui não tinham muitas oportunidades, resolvi procurar os caminhos em conjunto, as pessoas como modelos e eu como agenciadora e fotógrafa.

Blog Passo Firme –  Quais ramos empresariais mais se interessam por esses tipos de fotos? Existe uma explicação para isso?

Kica – Temos clientes na área financeira, tecnológica, educacional, logística e social. A demanda dos serviços é relacionada a moda, estilistas e acessórios como jóias, bolsas… Também tem maquiadores e cabeleireiros que procuram para montar os respectivos portfólios. As pessoas estão tomando consciência que são 45 milhões de consumidores, em território nacional, com algum tipo de deficiência. Esses empresários estão vendo que podem investir nesse mercado e que são pessoas bonitas para as campanhas de marketing.

Priscila Menucci em desfile inclusivo para empresa Perucas Cestari
Priscila Menucci em desfile inclusivo para empresa Perucas Cestari

Blog Passo Firme –  O que mais valoriza em cada ensaio que realiza?

Kica – Valorizo o ser humano que ali esta na frente de uma câmera fotográfica. O politicamente correto é chamar a pessoa pelo nome, respeitar os limites físicos, dar uma pequena pausa entre uma pose e outra, uma troca de figurino e maquiagem. Antes de começar qualquer sessão, os objetivos são falados para no final do trabalho ter o melhor resultado. Transparência sempre.

Serviço:

Quem: Kica de Castro
O quê: Palestra “O Mito da Beleza & a Deficiência, Tem Alguma Relação?”
Quando: quinta-feira (18/4), às 16 horas.
Onde: “IV Seminário: A Sexualidade na Vida da Pessoa com Deficiência” (Sala 9) | Reatech – Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade – Centro de Exposições Imigrantes-SP

Contatos:

Kica de Castro
kicadecastro@gmail.com
http://www.kicadecastro.com.br/

Passo Firme – 13/04/2013
Siga a nova página do @Passo_Firme no Twitter!

Anúncios

2 comentários em ““Beleza e deficiência não são opostos”, afirma ‘fotógrafa da inclusão’

  1. Deus só vai aumentar o sucesso de todos que lutam pela inclusão da pessoa com deficiência. Parabéns Kica pela luta de anos e sempre mostrando novidades.

    Curtir

Obrigado por sua colaboração ao #PassoFirme!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s